Inflação do Carro é a maior dos últimos cinco anos

2009 fechou com aumento de 8,41% nas despesas do motorista, que gastou $ 851,00 para andar e fazer a manutenção do carro

A Inflação do Carro da Agência AutoInforme fechou 2009 com 8,41%, a maior variação deste 2004, quando o índice atingiu 11,29%. Na verdade foi um bom ano para fazer a manutenção do carro. Rodar com ele é que foi caro. Isso porque, desta vez foi o álcool combustível o grande responsável pela alta do custo do motorista. O combustível, que teve grande aumento da procura com a ampliação da frota de modelos flex, subiu 19,07% no ano.
No primeiro semestre os preços de peças e serviços automobilísticos permaneceram estáveis. O índice da Inflação do Carro até julho era negativo: - 0,33%. A partir de julho, quando a oferta de álcool no mercado reduziu em relação à procura, o índice iniciou uma escalada de crescimento (veja no gráfico). Novembro foi o mês com o maior índice no ano, um aumento de 3,51%.
Além de ter um aumento de preço excepcional, o álcool é o item da cesta de produtos e serviços que mais pesa no custo de rodar a fazer a manutenção do carro. Sozinho, o álcool representa 20,72% das despesas do motorista no dia a dia.
As outras altas do ano foram nos serviços de alinhamento de direção, que ficou 16,72% mais caro, e do balanceamento de rodas, que teve alta de 15,42%. Esses serviços, no entanto, pouco influenciam na média final dos gastos, porque representam, juntos, apenas 1,31% nos gastos totais do motorista. Estacionar o carro também teve alta exagerada em 2009. O preço do estacionamento por hora ficou 13,64% mais caro, enquanto o preço do óleo do motor subiu 9,87% no ano.
A gasolina fechou o ano com alta de 2,93%
Os produtos (peças e combustíveis) fecharam o ano com alta de 10,99%. Os serviços ficaram 9,15% mais caros e o preço do seguro subiu 4,27%.
Na média, a despesa mensal com o carro foi R$ 851,00 durante o ano de 2009.

Postagens mais visitadas deste blog