Principais vítimas de acidentes com motos não são motoboys

Dados da Companhia de Engenharia de Tráfego mostram que as principais vítimas de acidentes com motos na capital paulista não são os motoboys, mas sim os usuários comuns de motocicletas. Especialistas apontam falta de preparo, imprudência e pressa como os principais fatores para os motociclistas comuns se envolverem em acidentes no trânsito de São Paulo.

Motoboys não são culpados pela maioria dos acidentes em SP

A culpa pela maior parte dos acidentes envolvendo motoboys em São Paulo não é dos condutores, e sim da informalidade das empresas que os contratam. A opinião é do diretor do Departamento de Transportes Públicos da prefeitura de São Paulo, Roberto Alegretti. Ele explica que, a busca por oferecer um preço menor faz com que as empresas de motofrete não exijam cursos de capacitação dos motoboys. Ganhando pouco, eles precisam correr mais, e assim acabam se acidentando. Para tentar reduzir esses números, a prefeitura implantou um pacote de medidas, que inclui um curso gratuito de educação no trânsito.

Moto-frete Curso
Teórico e prático: visa capacitar o motociclista de moto-frete, melhorando seu desempenho profissional, por meio do desenvolvimento de conhecimentos, habilidades e atitudes necessárias à prestação de serviços, com qualidade e segurança, no transporte de pequenas cargas.
Carga horária:Curso Teórico: 20 horasCurso Prático: 10 horas.

Instrutores: visa capacitar instrutores de moto-frete nas competências e habilidades necessárias para ministrar cursos teóricos e práticos, de acordo com o estabelecido na legislação municipal, regulamentadora do transporte de pequenas cargas.
Carga horária: 20 horas.
Informações: http://www.cetsp.com.br/internew/educa/motofrete.html

Fonte: http://www.motoboysdobrasil.com.br

Postagens mais visitadas deste blog

Motoqueiros investem em criatividade para se proteger do Sol