Só 5% dos motoboys têm autorização para circular nas ruas de SP

A maioria dos profissionais ainda não tem documento obrigatório para exercer a atividade na capital; prefeitura não fiscaliza o cadastro Para tirar Condumoto, é preciso fazer curso de preparação e, depois, se cadastrar no DTPSomente 5% dos motoboys que circulam pelas ruas de São Paulo já tiraram o documento obrigatório para quem exerce a atividade na cidade, o Cadastro Municipal de Condutores de Motofrete (Condumoto). Até o início de maio, 7.632 motoqueiros estavam inscritos no Departamento de Transportes Públicos (DTP). Ao todo, a capital tem cerca de 150 mil profissionais nessa área, segundo projeção do Sindicato dos Motoboys de São Paulo (Sindimoto-SP). O documento é exigido desde 2007, quando foi regulamentado. A medida prevê multa de R$ 192,66 para motociclistas flagrados fazendo entregas sem a licença. Além disso, a moto é apreendida. Contudo, a própria gestão Gilberto Kassab (DEM) admite não fazer a fiscalização necessária para coibir a circulação dos motoboys irregulares. A Secretaria de Transportes informou ter visitado 268 empresas de motofrete para orientá-las sobre o credenciamento dos motoboys. Esse trabalho não tem prazo para acabar e a fiscalização só começa após a sua conclusão. Para o presidente do Sindimoto, Gilberto Almeida dos Santos, as adesões ao Condumoto só vão aumentar depois do início das fiscalizações.

Fonte: Destak

Postagens mais visitadas deste blog