Entre em contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Postagens populares

Postagem em destaque

Micro e pequenas empresas geram 27% do PIB do Brasil

Os pequenos negócios respondem por mais de um quarto do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro. Juntas, as cerca de 9 milhões de micro e peq...

A AEMFESP repudia diretriz da Febraban que acaba com o boleto sem cobrança de emissão



A Associação das Empresas de Motofrete do Estado de São Paulo (AEMFESP) repudia a diretriz da Febraban (Federação Brasileira de Bancos) que acaba com os boletos sem registro e que não possuem custo de emissão.


Agora, os empresários terão que arcar com os custos por boleto emitido, antes mesmo destes serem pagos pelos clientes, esse custo pode chegar a R$ 5 por boleto.


Para as empresas, o boleto sem cobrança é o modelo mais justo, pois o banco recebe seu pagamento quando o documento é quitado – e somente nesse momento o serviço é contratado. Se o cliente não pagar, a prestação do serviço não acontece e não há obrigações de nenhum dos envolvidos. O boleto com custo de emissão atende melhor obrigações já contratadas, como modelos de assinaturas e serviços de contratos de longo prazo, como mensalidades escolares, condomínios, dentre outros.


As pequenas e médias empresas de motoboy precisam agora repensar seus modelos de recebimento, revendo até mesmo suas estratégias comerciais.


Os bancos possuem uma entidade que defenda seus interesses. Entretanto, com esta diretriz fica seriamente comprometida a operação pelo método de pagamento, que hoje responde por cerca de 25% do faturamento das empresas e é amplamente aceito por vendedores e consumidores do Brasil.